quarta-feira, 6 de maio de 2009

quinta-feira, 26 de março de 2009

sábado, 7 de março de 2009

Criatividade e muita "fibra" rendem prêmio.


Fatinha: "Estou muito feliz com este prêmio. É um reconhecimento ao nosso esforço em estar sempre pesquisando e melhorando a qualidade dos produtos."


Virgem Santíssima, feita com
palha de milho
Edmar Wellington






Artesã goiana, que desenvolve peças a partir de palha de milho e produtos do Cerrado, comemora o ‘bicampeonato’ no Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato
Representação de São Jorge

Anna Canêdo - Goiânia
De pequenos anjos a presépios, em tamanho natural. De delicadas bailarinas a imagens de santos, com tecidos e pedrarias. Fibras, fios, sementes e uma infinidade de materiais se juntam em figuras bem feitas e bem acabadas, que estão conquistando cada vez mais clientes pelo Brasil e até em outros países. Por conta disso, a qualidade do trabalho desenvolvido pela artesã Maria de Fátima Dutra Bastos foi mais uma vez destacada em nível nacional. Fatinha de Olhos d’Água, como ela é mais conhecida, foi uma das cinco vencedoras goianas do segundo Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato. Ela já havia sido contemplada na primeira edição da premiação.O prêmio tem como objetivo ampliar a visibilidade dos produtos artesanais e tornar a atividade ainda mais competitiva. Nesta segunda edição do Top 100, 66 unidades se inscreveram representando o Estado de Goiás e cinco foram premiadas. São elas: Cerâmica Boa Nova / Associação Adelino de Carvalho (Ipameri); Instituto Flamboyant (Goiânia); Sucesso Jóias / Magda Santos (Goiânia); Jazidas de Goiás / Christiano Vaz de Freitas (Caldas Novas); e Tecelagem Olhos d’Água (Alexânia). Além de participar da cerimônia de premiação e das rodadas de negócios, que serão realizadas ainda no primeiro semestre no Rio de Janeiro, Fatinha poderá utilizar o selo ‘Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato – 2ª edição’ em suas peças. Ela receberá, ainda, um certificado de premiação e seu trabalho será divulgado nos sites do Sebrae Nacional e do Sebrae em Goiás, no CD promocional e no catálogo do prêmio. “Estou muito feliz com esta premiação pela segunda vez. É um reconhecimento ao nosso esforço em estar sempre pesquisando e melhorando a qualidade dos produtos”, disse.Para Maria Beatriz Ribeiro de Lúcia, gestora de projetos de Artesanato no Sebrae em Goiás, o prêmio ressalta a atividade de pessoas que se dedicam ao seu negócio e estão há muito tempo em busca de aperfeiçoamento. “O Top 100 premia os profissionais que conseguem se formalizar e transformar o produto artesanal em um negócio viável. Muitas vezes unidades produtivas que não são contempladas com o prêmio apresentaram produtos bonitos, bem-feitos. Porém, o prêmio não é apenas para o design, para o produto, é, sobretudo, para a gestão do negócio, que envolve diversos aspectos”, avalia.Trajetória de sucesso
A história de Fatinha começou há mais de 20 anos com sua avó, Maria das Dores Pereira Dutra, e sua mãe, Ana da Silva Oliveira, que eram tecelãs do Distrito de Olhos d’Água, no município de Alexânia, distante 116km de Goiânia (GO). Nascida e criada no local, hoje com 1.600 habitantes, Fatinha seguiu a tradição da família na tecelagem, mas sempre pensando em produzir algo diferenciado, utilizando outros materiais. “Nós trabalhávamos com a tecelagem tradicional, em algodão, e trouxemos para cá os teares para elaborar peças em formatos maiores. Paralelamente, comecei a utilizar palha de milho, fibras e sementes para fazer uma bonequinha, um santinho, uma escultura. Tinha uma queda por estes outros materiais, mas a tecelagem não me dava tempo”, conta.Em 2002, uma consultora do Sebrae foi até o ateliê de Fatinha buscar peças da tecelagem para uma rodada de negócios em São Paulo. Ao ver um presépio que ela tinha feito, insistiu para levá-lo também. Mesmo hesitando inicialmente, Fatinha cedeu aos apelos e, do dia para a noite, viu sua vida mudar completamente. Alguns dias depois da rodada, ela recebeu a notícia de que o presépio havia sido o produto mais pedido na rodada. “De repente começaram a me ligar lojistas do Brasil inteiro e eu tinha uma encomenda de 500 presépios para entregar. Não tinha nem o ateliê montado. Tive que estruturar a oficina a partir do nada. Não planejei minha empresa. Tudo começou a acontecer pela necessidade da rodada de negócios”, conta ela, emocionada.
Das duas ajudantes que ela contratou às pressas para dar conta dos pedidos na época, hoje o ateliê e a loja, instalados lá mesmo, na praça central do distrito de Olhos d´Água, empregam nove pessoas e atendem pedidos do Brasil inteiro. Devido ao crescimento do negócio, a artesã está criando a empresa Fatinha Fios e Fibras. A Comércio de Tecelagem Olhos d’Água, onde tudo começou, continuará em atividade, sob a gestão do marido de Fatinha, o também artesão José Roberto Rocha Bastos, o Beto. Na tecelagem, são comercializadas peças feitas com algodão em que todo processo é manual, desde a fiação, tingimento e elaboração das peças. São jogos americanos, colchas, passadeiras, tapetes, xales, que levam a iconografia de Goiás e imagens rupestres.
A matéria-prima para as esculturas naturais, Fatinha continua pesquisando e buscando nas fazendas vizinhas. “O Cerrado é o meu grande professor, ele ensina a gente a trabalhar. Às vezes, saio em busca de material e volto com idéias para uma nova peça ou o aperfeiçoamento em algo que já estamos produzindo. Se a gente souber respeitá-lo, ele nos dá de tudo”, diz ela, que pelo menos uma vez por semana sai pelo campo em busca de fibras, fios, capim, cipós, cabaças e inspiração.
Atualmente, a produção supera 500 unidades por mês e o ateliê tem recebido grandes encomendas, como os presépios em tamanho natural que fizeram parte da decoração natalina da Prefeitura do Rio de Janeiro, em 2007, e da Praça Cívica, em Goiânia, em 2008. “Gosto muito de pesquisar, não tenho preguiça e acredito que a gente tem que criar sempre algo diferenciado, porque o mercado exige isto. As pessoas gostam de ver sempre produtos diferentes”. E assim Fatinha segue seu caminho, transformando o Cerrado em arte e mostrando que, com fibra, se pode fazer de tudo. Serviço: Fatinha Fibras e Fios / Comércio de Tecelagem Olhos d’Água Distrito de Olhos d’Água (Alexânia/GO): (62) 3322-6135 / 3322-6197Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato: http://www.info.sebrae.com.br/br/umc/top100_final.pdf Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás) – (62) 3250-2268

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

ARTESÃOS, VEJAM MAIS ESSA FEIRA!!!

SUCESSO. Esta é a palavra que define a FEINCARTES/SC que, em sua primeira edição, impressionou tanto na quantidade como na qualidade do público visitante que ultrapassou as 60.000 pessoas durante todo o evento. A satisfação dos expositores e o grande número de renovações para a edição 2009 é a melhor prova desta afirmação. Toda a repercussão da FEINCARTES/SC não poderia ser diferente, já que o evento foi realizado numa das capitais mais modernas e belas do Brasil, localizada no centro do MERCOSUL e com uma das maiores rendas per capta do País. Devido a este sucesso, a Guimarães e Mathias Feiras e Eventos Ltda, realizará de 03 a 12 de abril/2009, a II FEINCARTES/SC – Feira Internacional de Cultura e Artesanato de Santa Catarina.
Fonte e maiores informações: http://www.feincartes.com.br/index_sc.html

I FEINCARTES/CAMPINAS/SP



Feira Internacional de Cultura e Artesanato De 20 a 29 de março de 2009 Local: Ginásio de esportes do Guarani Cidade: Campinas São Paulo
Campinas é a terceira maior cidade do estado de São Paulo, reconhecida nacionalmente como uma das maiores rendas per capitas do País e pelos grandes avanços tecnológicos conquistados, pois sedia grandes universidades como a UNICAMP e também conhecida como a vale do cilício Brasileiro. Uma cidade grande e moderna, que tem na cultura e na educação um dos seus principais alicerce e é o centro de negócios de várias cidades próximas totalizando uma população de aproximadamente 2.500.000 habitantes.
A Guimarães e Mathias Feiras e Eventos irá realizar o evento no ginásio de esportes do clube guarani, localizado em área nobre da cidade, conhecido por todos e de fácil acesso da população, estes fatores irão proporcionar a você artesão, mais um evento de sucesso para 2009.

Fontes e maiores informações - http://www.feincartes.com.br/index_sp.html

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

CENTRAL DO ARTESANATO EM GOIÂNIA




Peças de Artesãos Goianos
Não deixem de conhecer, pode ser um caminho para encontrar o que precisa.
A Casa do Artesanato fica à rua Dona Gercina Borges (antiga rua 26), nº 74, Centro
Goiânia - Goiás

Apena vi e achei importante divulgar para quem quer participar!!!






Em 2009 a Feira Nacional de Artesanato

completa 20 anos
Nesta edição comemorativa o Brasil será o grande homenageado! Música, dança, gastronomia e, é claro, a produção artesanal de todas as regiões do país irão desfilar na maior vitrine do artesanato na América Latina. De 24 a 29 de novembro, o Expominas será palco da maior de todas as edições da Feira Nacional de Artesanato. Fale conosco e participe dessa edição comemorativa adquirindo seu estande. Quanto antes você comprar, menos irá pagar pelo espaço.
Verifiquem informações no site:http://www.feiranacionaldeartesanato.com.br/









quarta-feira, 26 de novembro de 2008

ALGUNS PASSOS DO MEU TRABALHO

Congelados Express
Mais facilidade e rapidez para você
receber as suas encomendas!
Entrega Especial: 2ª a 6ª feira - 08 às 18hs e
Sábado - 09 às 13hs.











Esse trabalho foi uma longa história muito interessante, que graças a Deus acabou bem, é importante deixar claro que existem pessoas que nos dão oportunidades, honestas e que confiam ainda no outro, mas é claro que temos que fazer a nossa parte, e se queremos que as coisas aconteçam devemos ser o mais transparente possível, não deixar dúvidas nem desconfianças, sempre falar a verdade, isso eu
vivi por alguns meses com essa empresa e ela comigo, sei que fui testada e sei que fui aprovada, pois tudo deu certo.
Muito obrigada Adriana, Maria das Graças, Izelny e Dona Sônia, tenham a certeza que esse trabalho pra mim foi um presente de Deus e só Ele sabe da importância que foi em minha vida. Um grande abraço e desejo um Feliz.........Feliz..........2009!!!
para todos juntos com seus familiares.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

SACOLAS PARA SEBRAE DO 5º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE TURISMO DE FRONTEIRA



Cada trabalho tem uma história, e essa creio que começou também uma grande amizade, pessoa que contratou meu trabalho, e tem sido muito íntegra, franca, amiga, companheira, guerreira, honesta, tivemos sufoco, correria, pequeno prazo, mas tudo deu certo, fizemos em um prazo muito limitado, mas vencemos nossos limites, foi uma boa experiência.
Muito obrigada Rosana Dianin da empresa Sacolas, Caixas & Brindes
Rua Triutério, nº 276, Coophafe
CEP 79021-100 Campo Grande - MS
Fone/fax 55 67 3326 7643
Cell/fone 55 67 9262 1771
e-mail pado1@terra.com.br
msn: rosanadianin@hotmail.com

domingo, 7 de setembro de 2008

Conheçam também esse espaço...é especial!!!

Exposição e Vendas:
- artesanato regional,
- comida típica,
- educação ambiental, e
- manifestações artísticas
Aos domingos a partir das 9:00hs - Parque da Criança - Atrás do Estádio Serra Dourada
E aos sábados Feira do Cerrado Noturna, das 16hs às 22hs.

Feiras de Artesanatos em Goiânia

ARTESANATO goiano é diretamente influenciado pelos costumes e crenças indígenas, caracterizando-se por diferentes materiais manuseáveis, como o barro, a pedra-sabão e a argila. Os artesãos utilizam-se de parafusos e ferragens para criarem esculturas de imagens de santos. Colchas de retalhos e utensílios domésticos em madeira, além da utilização de buriti, cipó, tucum, macaúba, penas e sementes figuram entre as matérias-prima locais.

a) Feira Hippie: com mais de 6 mil expositores, a feira acontece aos domingos, na Praça do Trabalhador. Desde as 3:00 horas da manhã já se encontram compradores de várias partes do país e do interior do estado. O movimento da população metropolitana se inicia, entretanto às 7:00 horas e vai até as 15:00 horas aproximadamente. Nesta feira são vendidos desde objetos artesanais, como quadros, arranjos, móveis, etc., até uma grande variedade de roupas e calçados, além de produtos industrializados. Telefone (0XX) 62 524-1320.
b) Feira do Sol: Acontece aos domingos na Praça do Sol, Setor Oeste, das 16:00 às 20:00 horas. Nesta feira são encontrados os mais variados produtos: alimentos, licores, doces, vestuário, bijouterias, arranjos de flores artesanais, antiguidades, etc., sendo proibida a comercialização de produtos industrializados. Telefone (0XX) 62 524-1320.
c) Feira da Lua: Acontece na Praça Tamandaré, Setor Oeste, aos sábados, das 17:00 às 22:00 horas. Oferece produtos de vestuário, calçados, bolsas, alimentos, bijouterias, artesanatos, etc. É uma versão menor da Feira Hippie.
d) Feira do Entardecer: Acontece no CEPAL do Setor Sul, na Rua 115, todas às Sextas-feiras, das 16:00 às 21:00 horas. Telefone (0XX) 62 524-1320.
e) Cooperativa de Artesanato e Manufaturas do Estado de Goiás: expõe peças de todo artesanato de Goiás. Acontece na Praça do Trabalhador, de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 17:30 horas. Aos sábados e domingos, das 09:00 às 14:00 horas.
f) Feira Cora Coralina: Os mais tradicionais doces da culinária goiana são encontrados nessa feira. O mel e os seus derivados são os produtos mais requisitados nesta feira, que acontece na Rua 8 (Rua do Lazer), Setor Central, aos sábados, das 08:00 às 13:00 horas.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Ceramista leva arte goiana para a Itália







Fotos Sílvio Simões
Ceramista produz, em família, peças inspiradas nas tradições culturais e religiosas do Estado de Goiás

Para manter-se no mercado e oferecer produtos cada vez melhores, Gabriel faz questão de qualificar-se
Gabriel produz peças decorativas e utilitárias, como petisqueiras, farinheiras, galinhas para cozinha, lembranças de aniversário, vasos de parede, jarros para água e muitos outros objetos
Além de Gabriel, trabalham em seu ateliê, em Goianira, sua esposa, mãe, sogra e os três filhos
Anna Canêdo - Goiânia
Gabriel Machado trabalha com cerâmica há mais de vinte anos. Há dez, vive exclusivamente desta renda e trabalha também como educador social em uma organização não-governamental. Goianiense, formou-se em Artes Visuais pela Universidade Federal de Goiás (UFG), quando apresentou sua monografia sobre processo de produção artesanal de peças de cerâmica. O trabalho é realizado em família.
Além de Gabriel, trabalham em seu ateliê, em Goianira (30km de Goiânia), sua esposa, mãe, sogra e os três filhos. Durante algum tempo, ministrou aula de modelagem na Fundação Jaime Câmara e hoje tem alguns alunos particulares, a quem atende em casa. “Levo a matéria-prima e, depois de modeladas, trago para secar. Depois as levo de volta para que eles finalizem o processo”, explica o ceramista.Até pouco tempo, Gabriel colocava suas peças em exposição em galerias de Goiânia, em regime de consignação. “Mas desisti, não compensa. Nas galerias, as peças são colocadas à venda pelo dobro ou mais do valor que eu as repasso. Daí às vezes elas não vendem, ficam paradas na galeria e eu perco a venda também”, diz. Hoje, além de seu ateliê, ele vende suas peças na Feira do Cerrado e na Central de Artesanato Goiano. O preço depende muito da peça, mas pode-se comprar vasos de parede por até R$ 5,00. Na Feira do Cerrado é possível ainda ver o ceramista produzir as suas peças. “Acho importante que as pessoas possam acompanhar o processo. É demorado, artesanal mesmo, e nem sempre recebemos o devido valor”, diz.Para manter-se no mercado e oferecer produtos cada vez melhores, o ceramista faz questão de qualificar-se. Gabriel participa com freqüência de oficinas no Sebrae, além de fazer parte da Central de Artesanato. “O Sebrae é um grande parceiro. No mês passado estive em São Paulo, no Espaço Saber Fazer, a convite do Sebrae, durante evento realizado pelo Ministério do Turismo”, conta o ceramista. Além dos cursos do Sebrae, Gabriel procura sempre outras opções para garantir sua qualificação. Participou, por duas vezes, do Congresso Nacional da Arte sobre o Fogo, em São Paulo. Como expositor, já fez o Salão Nacional de Arte Popular, em Recife, e recentemente, o Empório Sebrae na Casa Cor GoiásGabriel produz peças decorativas e utilitárias, como petisqueiras, farinheiras, galinhas para cozinha, lembranças de aniversário, vasos de parede, jarros para água e muitos outros objetos. Mas trabalha prioritariamente com a iconografia do Estado de Goiás, principalmente elementos ligados às cidades de Goiás e Pirenópolis. Tem preferência pelos farricocos e as cavalhadas. Além disso, Gabriel também desenvolve trabalhos sob encomenda. “As peças mais solicitadas são as imagens sacras. São Francisco, em especial, é bastante pedido”, diz. Entre seus trabalhos, Gabriel destaca o Santo Antônio de três metros que fez para a entrada da cidade, de mesmo nome, e um painel para a capela do Colégio Marista.Valor
Segundo o ceramista, seus clientes são, na maioria, pessoas que possuem alguma ligação com arte e que não necessitam do salário para adquirir as peças. “Normalmente as pessoas ligadas à arte de alguma maneira tendem a valorizar mais esse tipo de trabalho”, avalia. Atualmente, está com uma encomenda para entregar 500 pequenas máscaras, réplicas em miniatura semelhantes às utilizadas pelos mascarados durante as cavalhadas de Pirenópolis. A produção das peças passa por um processo demorado. O ceramista as produz em seu ateliê, em Goianira, e as leva para queimar em um forno de cerâmica, em Nova Veneza. Depois disso, volta com as peças para Goianira, para realizar o acabamento e então as comercializa em Goiânia. Gabriel mora em Goianira há 18 anos e acredita que aplicar o processo artesanal no interior mais fácil do que em Goiânia. “Sempre extraí o barro em chácaras. Este mês, pela primeira vez, comprei um caminhão de barro já extraído, o que facilitou o meu trabalho”, comemora.
Mesmo com o barro já extraído, Gabriel ainda precisa limpá-lo, retirar pedras, raízes, quebrar os blocos maiores e umedecê-lo para passar na máquina. Deixa a massa dormir de um dia para o outro e, depois, prepara o barro na máquina. Aí, sim, começa a moldar as peças. Depois de moldada, a peça seca na sobra, pois o sol pode rachá-la. Leva cerca de uma semana para secar. Depois de seca, é levada para o forno, onde fica de 12 a 14 horas queimando. Retirada do forno e já de volta em Goianira, a peça passa por um processo de restauro, lixa e pintura e aí sim, está pronta para a venda. “Cada um cuida de uma etapa da produção. É a vantagem de se trabalhar em família”, garante Gabriel.Viagem à Itália
Gabriel vai passar um mês na cidade de San Giovane, na Itália. A proposta partiu de uma ex-aluna, que mudou-se para lá. O projeto é ministrar aulas sobre o processo artesanal de produção de peças em cerâmica, para crianças, abordando o processo de construção da Cidade de Goiás. Toda a oficina será embasada na cultura goiana. Segundo Gabriel, o objetivo é levar um pedaço da Cidade de Goiás à Itália. “Sou regionalista. Adoro o meu Estado e me orgulho da minha cultura”, diz. Para a viagem, o ceramista levou um painel que retrata as Cavalhadas de Pirenópolis e uma imagem de São Francisco cercado por animais do cerrado.
Serviço:Ceramista Gabriel Machado: (62) 3516-2236 / 8465-7930Ateliê: Rua 08, Quadra 04, Lote 15, Setor Sobradinho – Goianira (GO)edgabrielm@hotmail.com Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás): (62) 3250-2268

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Preserve o Meio Ambiente!

SACOLAS GAYA, ESSE FOI O FOLDER MOSTRANDO
A SERIEDADE E COMPETÊNCIA DOS ALUNOS.
Daniel, eu e Liliane, agradeço a Deus por ter participado com os alunos
de Administração de Empresa da Faculdade Padrão no trabalho de Indústria de Sacolas
Ecológicas.
Dia 12 de junho no workshoping dos alunos da Faculdade Padrão.
Liliane e eu com a certeza da missão cumprida, no dia da exposição.
Eliane e eu na Feira onde as sacolas GAYA foram apresentadas.

domingo, 30 de março de 2008

Dicas para Bordar


x Lave sempre as mãos antes de bordar, isso permitirá um trabalho limpo. x Use uma boa iluminação para bordar, de preferência use luz fluorecente. x Borde em acentos confortáveis para não prejudicar sua coluna. x Coloque uma almofada no colo para aproximar o bordado . x Se você quiser que a linha não dobre ao puxar do ponto, passe uma esponja úmida do começo ao fim da linha. x Passe sempre um alinhavo no tecido que cortou, evitando desfiar. x Para fazer todos os pontos no mesmo sentido é só levar o fio por baixo do ponto anterior, na carreira de volta. x Se você borda para vender, compre o material no atacado, isso aumenta sua margem de lucro. x Combine as cores da linha com as do tecido é harmonioso e fundamental. x Ao terminar um trabalho sempre lave, passe à ferro e engome. Ficará lindo ! x Quando aplicar seus bordados use tecidos que não desbotam. x Para bordar com fio metalizado umedeça-o numa esponja qualquer, para facilitar o uso. x Se não quiser ou não souber fazer 1/4 ou 3/4 de ponto, basta deixar de bordar os quadradinhos com um triângulo colorido que aparecem em certos gráficos mais elaborados e por fim defina-os com ponto atrás (contornos). Você pode usar esse truque quando quiser para acelerar seu trabalho, mas nunca deixe de praticar os pontos fracionados, eles são necessários para fazer um lindo trabalho. x Para aplicar bordado em tecidos comuns como os de camisetas, calças etc. Aplique uma entretela termo-colante no avesso do tecido (se necessário) e no direito do tecido, aplique o cânhamo com um alinhavo e borde normalmente. Terminado o bordado remova os fios do cânhamo com uma pinça, porém com cuidado, para não deslocar os pontos do bordado.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

AGRADECIMENTO


Agradeço à Janaisa e Milene da clínica Dialogue Fono de Porto Alegre por terem confiado em meu trabalho e em minha pessoa, já que estamos separadas por tantos kms de distância e não nos conhecemos, e deu certo nosso primeiro trabalho. Muito obrigada de coração.
Visitem o site dessas profissionais que nos prestigiou. www.dialoguefono.com.br

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Feira de Artesanato em Salvador

Feira de Artesanato – Intituto Mauá
10 de Janeiro a 30 de Março
Aeroclube
Maiores Informações: (71) 3116-61712

Feira Baiana de Artesanato
A partir de 19 de Janeiro
Jardim dos NamoradosMaiores
Maiores Informações: (71) 3116-61713

Feira de Culinária Típica
Sábados – 08:30 às 11:30
Domingos – 16:00 às 19:00
Porto da Barra
Maiores Informações: (71) 3116-6171
Fonte: http://www.salvadorconvention.com.br/content/view/367/313/lang,brazilian_portuguese/

Dicas Para Bordar Melhor.

Dicas para um bordado perfeito.

Bordar é sempre um prazer! Ver seu trabalho pronto e receber os elogios por sua arte e criatividade, completam esse prazer. Para garantir que a beleza de seu trabalho dure a vida toda, aqui estão algumas dicas preciosas das linhas Anchor: * Lave as mãos antes de iniciar o trabalho e sempre que perceber que estão suadas, para evitar que o suor manche o trabalho;* Guarde o trabalho em uma sacola ou cesta apropriada quando não estiver bordando, para protegê-lo da poeira, respingos, etc;* Use fios de aproximadamente 45 cm de comprimento, para evitar que os fios formem nós, fiquem torcidos ou desfiem quando estiver bordando;* Lave cada trabalho separadamente. Prepare o molho com água na temperatura de 60graus Celsius em grande quantidade e assegure que o sabão seja neutro e esteja completamente dissolvido antes de mergulhar o trabalho;* Enxague o trabalho diversas vezes em água corrente abundante;* Não devem ser usados nenhum tipo de branqueador e/ou alvejante óptico no trabalho.* Não torça o trabalho. Enrole entre duas toalhas ou outro tecido bem absorvente na cor branca, espremendo gentilmente, sem torcer. Não deixe que o trabalho enrole sobre si mesmo;* Se desejar engomar o trabalho, prepare a goma seguindo as instruções do fabricante. Mergulhe o trabalho inteiramente na solução, deixe alguns minutos e retire deixando escorrer bem. Não torça o trabalho; proceda como mencionado acima para tirar o excesso de água;* Desenrole e estenda o trabalho sobre uma toalha em superfície plana. Nunca deixe o trabalho úmido dobrado ou empilhado;* Passe o trabalho entre duas toalhas ou outro tecido na cor branca com o lado direito do bordado voltado para baixo. Use o ferro de passar não muito quente;* Mais uma dica para você: Compre sempre a quantidade necessária de meadas para fazer todo o trabalho, pois podem haver diferenças entre os lotes de tingimento. Nossas meadas possuem número de lote para facilitar a sua compra.
* * BASTIDOR - você sempre obtém melhores resultados quando usa um bastidor. Ele mantém o tecido firme, o que permite bordar de modo mais uniforme, ele consiste em um aro interno que se encaixa a um aro ajustável externo. São feitos de madeira ou de plástico e seus tamanhos variam de 10 a 30 cm de diâmetro. Porém, bordar com o uso do bastidor torna o bordado mais demorado, uma vez, que são necessários dois movimentos para se fazer o ponto. * Para evitar que o tecido durante o trabalho desfie, faça uma pequena dobra em toda a volta do tecido e passe um alinhavo.
* Para fazer todos os pontos no mesmo sentido é só levar o fio por baixo do ponto anterior, na carreira de volta.* Ao terminar um trabalho sempre lave, passe à ferro morno levemente pelo avesso, sem pressionar muito o bordado e engome. * Se não quiser ou não souber fazer 1/4 ou 3/4 de ponto, basta deixar de bordar os quadradinhos com um triângulo colorido que aparecem em certos gráficos mais elaborados e por fim defina-os com ponto atrás (contornos). Você pode usar esse truque quando quiser para acelerar seu trabalho, mas nunca deixe de praticar os pontos fracionados, eles são necessários para fazer um lindo trabalho. * Quando trabalhar uma área parcialmente bordada, prenda a linha nova cuidadosamente pelo avesso passando a agulha sob um grupo de pontos. Para arrematar, passe a agulha sob um grupo de pontos, pelo avesso e corte o excedente de linha, procure caprichar, mantenha a linha que sobra bem segura, evitando que ela se solte com o uso ecom as lavagens freqüentes. * Comece a bordar sempre a partir do centro do gráfico, para isso encontre o centro do tecido, dobrando-o no sentido horizontal e vertical, se preferir marque as dobras com alinhavos. * Certifique-se que o tamanho do tecido seja suficiente para realizar o bordado, para issoconte quantos quadrados compõem o gráfico da receita e faça o mesmo com o tecido, oriente-se pelas instruções dadas em cada projeto ou conte os pontos.* Deixe sempre uma folga no tecido para que posteriormente, você possa usar o bordado para montar um quadro, uma almofada ou aplicá-lo em outro tecido. * Os desenhos para bordados em ponto cruz, são sempre ilustrados por gráficos que contêm: a) áreas delimitadas, normalmente ilustradas por um quadradinho que representam 1 ponto;b) cada quadradinho, terá em seu interior um símbolo, que representará uma cor;c) a legenda terá todos os símbolos usados no gráfico com a cor da linha correspondente. O bordado em ponto cruz são executados em tecidos entrelaçados (tecidos com fios contáveis), seguindo o gráfico quadrado por quadrado. Os tecidos mais usados são o Cânhamo e o Etamine. Os tecidos próprios para ponto cruz tem fios contáveis, entrelaçados em blocos, um a um ou dois a dois, formando tramas abertas ou fechadas, desta forma o motivo bordado fica maior em tramas abertas e menor em tramas fechadas, por esta razão, deve-se transformar as medidas do motivo em pontos por centímetro. Vale lembrar que o Ponto Cruz, pode ser feito em qualquer tecido, desde que se aplique, através de alinhavo um retalho de tecido desfiavel (Cânhamo/ talagarça), que após o bordado finalizado, será retirado, umedecendo-o e puxando fio por fio com uma agulha ou pinça. Porém durante o trabalho deve-se tomar cuidado para que a agulha não prenda o cânhamo ao tecido, pois isto dificultará a retirada do mesmo, comprometendo o trabalho. Tecidos para o bordadoETAMINE - indicado para principiantes, pois os fios formam blocos (quadradinhos) bem definidos, que facilitam a contagem dos pontos. O etamine poderá Ter 4, 5, 6, 7 ou 8 pontos por cm. No caso de bordar no etamine de 4 pontos por cm o motivo ficará bem maior do que se bordar do tecido de 8 pontos por cm.CÂNHAMO - FINO - com variação na espessura dos fios, tem trama fechada, indicado para motivos delicados, nesse caso, cada ponto é trabalhado sobre dois fios na horizontal e dois na vertical. GROSSO - esse tipo de cânhamo tem fios encorpados e de fácil contagem, é recomendado para execução de peças mais estruturadas, como cortinas, sacolas, jogos americanos, mantas de sofá.PANAMÁ - a trama com três fios torcidos, é semelhante à do cânhamo, só que mais fechada. Conhecido também como linhão, é indicado para a confecção de almofadas, quadros, cortinas.LINHO - de trama mais fechada que a do cânhamo, é ideal para trabalhos finos e requintados, exige habilidade da bordadeira, pois os pontos devem ser homogêneos, não podendo repuxar os pontos tornando-os desiguais e comprometendo o resultado. Neste tecido trabalha-se com um fio de linha na agulha, é necessário ter vista boa, pois a trama do tecido é muito fechada e irregular, o ponto é trabalhado como no cânhamo fino, enlaçando a agulha em dois fios na horizontal e dois na vertical.TALAGARÇA PLÁSTICA - é o material mais moderno para bordados e oferece várias possibilidades. Trata-se de uma folha plástica, com uma grade perfurada, é de fácil manuseio e a trama não deforma. Não precisa moldura e as pontas não desfiam. Pode ser usada na confecção de porta copos, toalhinhas, imã de geladeira, lembrancinhas ou para a confecção de objetos tridimensionais, como caixinhas ou porta lápis
Informações para bordar ponto de cruz: • Dê preferência aos tecidos de trama regular, cujos furinhos, visualmente formam um quadrado perfeito, para evitar a deformação do motivo a ser bordado. Verifique também se os fios que compõem a trama são claramente visíveis para facilitar a contagem dos pontos. • Para iniciar um bordado de ponto de cruz em tecido cortado (etamine ou cânhamo por exemplo.), verifique se o tecido foi cortado seguindo a trama do fio, para que o acabamento na bainha fique reto. • Antes de iniciar o bordado, alinhave as bainhas para não desfiar. Você pode fazer a bainha de seus trabalhos com pontos invisíveis, para ficar mais delicadoe bonito. • Depois de acertar as beiradas do tecido, marque o centro com pontos de alinhavo usando fio colorido. • Conte os pontos do gráfico escolhido e marque o espaço que o mesmo vai ocupar no tecido. • Comece a bordar a partir do centro do motivo. Observe para que todos os pontos sejam bordados para o mesmo lado. • Para um melhor resultado no visual do seu trabalho, borde todos os pontos com a mesma tensão. Não aperte muito o ponto, pois isto causará ondulações no tecido ao redor do bordado. • Lave as mãos freqüentemente durante o trabalho. A gordura natural das mãos pode sujar os fios de bordar e o tecido. • Quando começar a bordar, evite fazer nós no verso. Segure a ponta do fio com os dedos pelo lado de baixo do tecido e cubra-o com os pontos de bordado seguintes. Para finalizar um fio, passe a agulha por alguns pontos bordados, pelo lado de baixo, puxe o fio e corte rente ao tecido. • Se o fio de bordar ficar torcido, segure o seu trabalho no ar, e deixe a agulha pendurada para o fio se distorcer. • Evite cruzar fios da mesma cor de uma área para outra, no verso do trabalho; para ficar um trabalho mais limpo, arremate o fio e comece novamente na outra área. • Se você errar alguns pontos, faça a correção logo que perceber o erro. A melhor maneira de desmanchar um bordado, é tirar o fio da agulha e desfazer cuidadosamente, ponto por ponto, com o auxílio da própria agulha. • Quando bordar o tecido para colocar em quadro com vidro, sugerimos lavar o trabalho antes de emoldurar. A gordura que passa das suas mãos para o trabalho, com o tempo poderá manchá-lo.
Fonte: http://groups.msn.com/CantinhodoBordado/page.msnw

FEIRAS DE ARTESANATO NO CEARÁ

Centro de Turismo
Rua Senador Pompeu, 350
Centro - Tel: 212-3566

Feira de Artesanato da Beira-Mar
Mercado Central
Av. Alberto Nepomuceno, 199
Centro, Tel: 454.8586

Pólo Comercial da Avenida Monsenhor Tabosa
Praia de Iracema

Central de Artesanato do Ceará (CEART)
Av. Santos Dumont, 1589
Aldeota, tel:268.2970
Aeroporto Internacional Pinto Martins - 2ºpiso
Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura

MÃOS DE MULHER

Mãos macias, mãos grossas
Mãos brancas, mãos negras
Mãos pequenas, mãos grandes
Mãos que afagam e socorrem,
Mãos que ajudam, amparam
Mãos que lavam, que colhem

Mãos sofridas, cansadas
Mãos trêmulas, doídas
Mãos que picam a carne
Gotas de sangue que brotam
Furadas pelas agulhas
Quando bordam
Queimadas pelo fogo das panelas

Mãos que não cansam,
Firmes, decididas,
Mesmo com as lágrimas
Rolando pelo rosto,
Pega no colo o filho morto
Mãos de mulher dedicada,
Que se estendem para serem
Abençoadas por Deus.

Obrigada meu Deus pelas minhas mãos!
Autoria Aeliomar Fátima de Carvalho em 2007

EU E O ARTESANATO

Minha história com o artesanato começou desde criança, eu nem tinha agulhas de tricô,
e aprendi com minha mãe a dar os primeiros pontos, em agulhas feitas por ela com arame. Já pequena, com meus 9 anos, fazia sapatinhos para bebê e colocava em uma loja de minha tia, depois comecei a fazer mantas, xales. Como a vida vai mudando, comecei junto com minha família a fabricar artesanato em couro, fazíamos
bolsas, tamancos para expor na 1ª Feira Hippie que existia em Goiânia, eram
produtos produzidos por artesãos mesmo, fabricado, peças únicas, era uma verdadeira realização também, apesar do trabalho ser muito puxado e cansativo, valia a pena. A vida mais uma vez foi mudada, quando iniciamos a crescer e pegar encomendas grandes tivemos um prejuízo grande e tivemos que vender a primeira máquina industrial que havíamos comprado. Com o passar do tempo, reiniciamos, mas em outro mercado que não deixava de ser criativo e muito gratificante trabalhar, era uma agência de publicidade, mas infelizmente não obtivemos sucesso, não por falta de sucesso pelo trabalho, qualidade, o que faltou foi responsabilidade, seriedade com o trabalho e infelizmente não dependia de mim e mais uma vez veio o fracasso, e estava eu em busca de algo para sobreviver, até que consegui um trabalho no estado onde trabalhei por 12 anos, mas ali não era o meu lugar.
O que quero dizer com esse pequeno resumo de parte da minha vida? não devemos desistir nunca, quantas vezes for necessário começar, temos que arregaçar as
mangas e recomeçar, ontem foi ontem, hoje é hoje, e amanhã é amanhã.
Quero com esse site prestar minha homenagem à minha mãe que sempre me incentivou,
e esteve ao lado dos filhos apoiando, trabalhando, dando tudo de si, valorizo muito o apoio dessa mulher guerreira e trabalhadora, que passou toda a sua vida cuidando, cozinhando, lavando, passando e que nunca teve oportunidade de conhecer outros horizontes ou viver pra ela mesma. E agora já com 74 anos é minha companheira de trabalho mais uma vez. Obrigada mamãe, pelo apoio, incentivo e ajuda que tem me dado e que Deus possa te dar bastante anos de vida para desfrutar um pouco de nosso sucesso.
Tudo está começando nesse ano de 2007, nossas bolsas estão sendo feitas com simplicidade, mas bem práticas, e criadas uma a uma, muitas vezes pego o tecido pensando em fazer de uma determinada forma, quando olho pra outros tecidos ou pedras
fico tão extasiada que não gosto que sinto uma aflição dentro de mim que quero na hora
já cortar e colocar mãos à obra. Muitas vezes fico olhando, olhando, e tenho uma visualização de um outro modelo, detalhe, totalmente diferente de quando iniciei ou havia pensado fazer. Às vezes não vejo a hora de amanhecer para poder recomeçar, porque quando paro pra descansar e começo a dormir já surgem outros desenhos, bordados, pintura, e assim vamos indo em frente.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Artesão sergipano usa casca de coco como matéria-prima

Além de Sergipe, José Rogério da Silva vende as peças para outros estados, como Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina

Sol, praia, mar e água de coco. O cenário paradisíaco seria mais lindo se, um pouco adiante, você não tropeçasse em uma casca de coco. Mas na Feira de Sergipe, que prossegue até o domingo (27) em Aracaju, a casca do coco não vira lixo, ela se transforma em artesanato pelas mãos de José Rogério da Silva, que trabalha com a família. O trabalho artesanal é feito no quintal da sua residência, onde foi montado um ateliê. Na oficina, o trabalho começa com o corte da casca. Eles furam, lixam, montam as peças, envernizam e, em pouco tempo, a casca do coco ganha vida. Com a casca são confeccionados quiosques, macacos, tartarugas, filtros e outros objetos decorativos. Nos pedaços são aplicados verniz com pincéis e retoques a mão. Depois de secas, as peças vão para a última etapa da produção. Elas chegam em formatos e tamanhos diferentes e são transformadas, só depende da criatividade e da inspiração do artesão. "Há seis anos trabalho com esse tipo de artesanato e há dois participo da Feira de Sergipe. Acho muito maravilhoso participar desse evento e mostrar a minha criatividade", explica o artesão. Ele agradece ao Sebrae pelo curso realizado sobre vitrinismo, onde teve oportunidade de aprender como arrumar o estande, organizar os produtos e atender melhor os clientes. O artesão tem conquistado novos mercados, sonho que está se transformando em realidade. Ele vende as peças para outros estados, como Bahia, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina. "A Feira de Sergipe é perfeita para expandir nosso trabalho, conquistar novos clientes", enfatiza José Rogério. O ateliê de José Rogério da Silva fica localizado na rua Maria Rezende Machado, nº 557, Coroa do Meio, Aracaju (SE), telefone (79) 8131-4113. Serviço: Sebrae em Sergipe - (79) 2106-7700 www.se.sebrae.com.br/feiradesergipe2008

Casal de artesãos aproveita Feira para divulgar trabalho

Feira de Sergipe é oportunidade para Sergio e Valdete divulgarem seus produtos; ele faz pinturas em ostras e ela produz bolsas e saias de praia
Do Sebrae em SergipeJuntos há oito anos e trabalhando com o artesanato, o casal de artesãos Sergio Bastos e Valdete de Souza estão presentes na Feira de Sergipe com o estande Arte em Ostra. Mas, cada um tem seu trabalho e aproveita o vento para divulgar os produtos e realizar novas parcerias comerciais. Sergio está na profissão há 33 anos, fazendo pinturas em ostras. "Minha vida é o artesanato", afirma o artesão, que já participou de todas as versões da Feira de Sergipe, inclusive já tendo sido premiado numa das edições por causa da decoração do estande. "A Feira é realizada numa época excelente, num mês de férias, com a cidade de Aracaju cheia de turistas, gerando ótimas oportunidades de negócios. Quem reclama é porque não está oferecendo produtos bons, com qualidade", afirma Sergio. Já Valdete de Souza, que trabalha com artesanato há oito anos, produz bolsas e saias de praia feitas em filé, que é um tipo de crochê, além de camisas. "Essa é a quarta vez que participo desse evento. Além de podermos trocar experiências com outros artesãos, a Feira de Sergipe é um ótimo local para conquistarmos novos clientes e vendermos nossos produtos", enfatiza Valdete. Os trabalhos do casal podem ser encontrados no Centro de Arte da Orla de Atalaia e o telefone para contato é (79) 9956-0057. O site da feira é www.se.sebrae.com.br/feiradesergipe2008 . Serviço: Sebrae/SE - (79) 2106-7700 Site da feira - www.se.sebrae.com.br/feiradesergipe2008 Arte em Ostra - (79) 9956-0057

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Feiras de Antiguidades Rio de Janeiro

Feira Local Funcionamento Horário

I Pça.Mal.Âncora-Pça XV sábado 10 às 17

II Pça.S.Dumont-Gávea domingo 09 às 17
Fonte: http://www.rio.rj.gov.br/clf/feiras/antiga.htm

Feirartes do Município do Rio de Janeiro

Feirartes Local Funcionamento Horário

I Praça Gen.Osório Domingo 08 às 18

II Praça XV 5ª e 6ª feiras 08 às 18

III Praça Saens Peña 6ª e sábado 08 às 18

V Praça do Lido sábado e domingo 08 às 18

VI Calçadão (Copacabana) sábado e domingo 19 às 24
Fonte: http://www.rio.rj.gov.br/clf/feiras/antiga.htm

Feiras de Artesanato em Belo Horizonte

Central de Artesanato do SESC Mineiro
Rua Tupinambás 956 - Centro - (0xx31) 3279-1476

Centro de Artesanato Mineiro
Av. Afonso Pena 1537 - Centro - (0xx31) 3272-9513

Feira de Arte e Artesanato
realizada aos domingos, das 8 às 14h, na av. Afonso Pena

Mãos de Minas
Rua Grão Mogol 662 - Sion - (0xx31) 3282-8298

Armazém da Roça
Rua São Gotardo 273 - Mercado de Santa Tereza - (0xx31) 3277-9030

Coisas de Minas Artesanato
Av. Franciso Sá 850 - Gutierrez - (0xx31) 3313-8041

Gerais do Brasil
Rua Fernades Tourinho 97 - Savassi - (0xx31) 3281-7793

Projeto Integração - Artesanato Solidário
Rua da Bahia 1022 - Centro - (0xx31) 3222-3883

Associação Mineira de Artesanato
Rua Grão Mogol 333 - Sion - (0xx31) 3281-1447

Trem de Ferro Artesanato
Rua Alagoas 1421 - Savassi - (0xx31) 3225-5724

Fonte: http://www.idasbrasil.com.br/idasbrasil/cidades/BeloHorizonte/port/compras.asp#artesanato

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

PREFEITURA GOIANA REALIZA CANTATA DE NATAL


A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação, promove de hoje até o dia 21 deste mês, mais uma edição da Cantata de Natal.O evento leva a alegria e a magia do Natal a todos os freqüentadores do Centro da cidade. A
Cantata conta com a participação do Coral Vozes em Canto, composto por 250 alunos da Rede Municipal

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação, promove de hoje até o dia 21 deste mês, mais uma edição da Cantata de Natal.O evento leva a alegria e a magia do Natal a todos os freqüentadores do Centro da cidade. A Cantata conta com a participação do Coral Vozes em Canto, composto por 250 alunos de sete Escolas da Rede Municipal de Educação. Serão quatro dias de apresentações, que acontecerão a partir das 19h30min.

Segundo a Secretária Municipal de Educação, Márcia Carvalho, a iniciativa tem como objetivo levar cultura e arte para o Centro da cidade, onde as pessoas poderão vivenciar o espírito natalino. 'Queremos revitalizar o Centro e também dar início a um projeto maior, que é atrair turistas para contemplarem nosso Natal, a exemplo de cidades tradicionais como Curitiba (PR) e Gramado (RS)', destaca.

Apresentações

Haverá um rodízio de alunos nas apresentações para melhor distribuição das vozes e acomodação das crianças nas janelas do Grande Hotel. Cerca de 100 crianças entoarão as canções natalinas por noite, de forma que as 250 vozes do Coral participarão das apresentações.

Com um repertório variado, o Coral apresentará desde canções tradicionais como Noite Feliz, Anoiteceu, O Primeiro Natal, Glória às músicas mais atuais como: Papai Noel Tropical, Sinfonia de Paz, Espírito do Natal, entre outras. Vale ressaltar que essas últimas são músicas novas no repertório da Cantata que este ano contará com a apresentação de 15 músicas, com período de duração estimado em 45 minutos.

Além dos integrantes do coral, outros quatro alunos, primeiros colocados no Concurso Desafio Educação 2007, farão os solos nas apresentações.

O Coral

O Coral Vozes em Canto é uma integração dos corais existentes na Rede Municipal de Educação, que desde 2005, vêm se apresentando nos eventos promovidos pela Secretaria Municipal de Educação. A criação desse grupo musical teve como objetivo difundir a música, promovendo a integração entre a SME, as Instituições Educacionais, comunidade e vários outros órgãos da Administração Municipal. Eventos como a Chegada do Papai Noel, no Paço Municipal, Dia das Mães na SME, Páscoa, e a própria Cantata de Natal, são abrilhantados pelos 250 alunos, com idades entre 8 e 15 anos.

Os corais das escolas contam com professores que atuam como Regentes e contribuem de forma decisiva no desenvolvimento dessa atividade artística nessas Instituições. Durante todo o ano, esses profissionais recebem amparo técnico-musical do Professor e Regente Júlio Melo toda segunda-feira na própria SME ou durante os ensaios dos corais das próprias Unidades Educacionais. Os corais também são visitados pelo professor para auxílio in loco, para orientações e trabalho com os alunos que recebem informações desde teoria até técnica vocal.

Serviço:

Assunto: Cantata de Natal

Data: de 18 a 21 de dezembro

Horário: a partir das 19h30

Local: Grande Hotel - Av. Goiás, esquina com Rua 3 - Centro

Contato: 3524-5054
Fonte:http://www.goiania.go.gov.br/sistemas/snger/asp/snger01010r1.asp?varDt_Noticia=17/12/2007&varHr_Noticia=15:26

Cantata de natal é realizada em Goiânia

Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação, promove de nesta terça-feira (18), até dia 21 deste mês, sempre a partir das 19h 30, a tradicional Cantata de Natal, que conta com a participação do Coral Vozes em Canto, composto por 250 alunos de sete escolas da rede municipal de educação. Cerca de 100 crianças entoarão canções natalinas de forma que 250 vozes do Coral participarão das apresentações, assim também quatro alunos, sendo os primeiros colocados no concurso Desafio Educação 2007.

Fonte: Brígida Mota, para o DM Online

Célula Goiana de Arte e Artesanato promove bazar natalino

Hotel de Goiânia abre seu espaço de eventos para a exposição de trabalhos de 25 artesãos

José Antônio Cardoso

Goiânia - Antecedendo as comemorações de Natal, a Célula Goiana de Arte e Artesanato, do Sebrae em Goiás), e o Adress West Side Hotel Residence, de Goiânia, promovem, nos dias 22 e 23 de dezembro, o Bazar de Natal Terra Goiana Arte & Artesanato, evento que acontece nas dependências do próprio hotel.

Segundo a assessora de comunicação do Adress, Maria Luiza Mendanha (Espaço Comunicação), participam do bazar 25 artesãos goianienses ligados ao projeto do Sebrae, que vão expor desde móveis artesanais até biobijuterias, “produtos realmente muito bem trabalhados e finos, de reconhecido bom gosto”, explica a assessora.

Maria Luiza lembra que a abertura do bazar acontece no dia 22, as 10 horas, quando será servido um café da manhã para convidados. A exposição permanece no mesmo dia até 22 horas, sendo que no dia 23, o funcionamento será de 9h até 22 horas. Durante o evento serão realizadas apresentações culturais, com cantores e dançarinos. Com previsão de lotação no hotel para o fim de semana, a organização estima um bom público para o bazar.

Serviço:
Bazar de Natal Terra Goiana Arte & Artesanato
Local - Adress West Side Hotel Residense
Avenida República do Líbano, 2.526, no Setor Oeste – Goiânia (GO)
Data - dias 22 e 23 de dezembro de 2007
Unidade de Projetos Multissetoriais do Sebrae/GO - (62) 3250-2263
Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás) - (62) 3250-2268

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Projeto Artesanato de Rondônia fecha ano lançando catálogo

Resultado
11/12/2007 - 12:10


Publicação mostra, através do trabalho de 83 artesãos, contínuo processo de evolução em seis municípios

William Jorge Heron

Porto Velho - O processo criativo, a cooperação e o apoio que o artesanato de Rondônia vem recebendo ao longo dos últimos três anos serão apresentados nesta quarta-feira (12) às 19 horas, em Porto Velho, quando o Sebrae/RO lança o Catálogo do Artesanato de Rondônia, que marca o encerramento das atividades do projeto em 2007.

A apresentação do catálogo será feita na Casa Blanca Eventos, em Porto Velho. Lá estarão, além do público-alvo, a diretoria e membros do Conselho Deliberativo do Sebrae e os artesãos responsáveis pelas conquistas do setor.

A apresentação do catálogo será feita a lojistas e a designers, que conhecerão 207 peças selecionadas entre as criações de 83 artesãos das cidades de Porto Velho, Ariquemes, Guajará-Mirim, Ouro Preto do Oeste, Ji-Paraná e Pimenta Bueno, informa a coordenadora do projeto Glenny Paes Salles, do Sebrae em Rondônia.

“No início de 2007, o Sebrae firmou um convênio de cooperação com o Centro de Educação Tecnológica e de Negócios de Rondônia (Cetene), no qual se acertou que os produtos artesanais deveriam passar pela consultoria de design para entrar no catálogo”, reforça Glenny.

Ela lembra que, depois da criação e do aperfeiçoamento das peças artesanais, “foi contratada uma curadoria das peças que iriam compor o catálogo, o que foi realizado pelo Instituto Meio, de São Paulo. É fruto de três anos de trabalho – desenvolvido entre 2005 a 2007 – tempo do Projeto Geor (Gestão Estratégica Orientada para Resultado), do Sistema Sebrae”.

Além de registrar a evolução do processo criativo dos artesãos rondonienses, o documento tem como proposta a conquista dos lojistas especializados na comercialização de artesanato e a criação de um elo entre a produção local e a comercialização de produtos de qualidade, de acordo com as exigências do mercado.

São parceiros na ação de divulgação do Catálogo do Artesanato de Rondônia o Cetene, o Governo do Estado, as prefeituras de Ariquemes, Ji-Paraná, Guajará-Mirim e Ouro Preto do Oeste, o Banco do Brasil, o Banco da Amazônia, a Caixa Econômica Federal, o Centro Despertar – vinculado à diocese de Guajará-Mirim, a Associação Comercial de Ariquemes, a Associação Comercial de Guajará-Mirim e a Fundação Cultural de Ji-Paraná.

Serviço:
Sebrae em Rondônia - (69) 3217-3800

Sebrae leva artesanato dos ateliês para shopping em Florianópolis

Arte Catarina 13/12/2007


A 1ª Mostra Sebrae de Produtos Artesanais - Aroma, Sabor e Arte Catarina está programada para 15 de janeiro a 10 de fevereiro, no Beiramar Shopping

Regina Xeyla

Divulgação



Produtos de artesanato que fazem parte do projeto Arte Catarina possuem alto padrão de qualidade
Brasília - Aroma, sabor e arte. Esses elementos estarão reunidos no período de 15 de janeiro a 10 de fevereiro, no Beiramar Shopping, em Florianópolis (SC). Trata-se da 1ª Mostra Sebrae de Produtos Artesanais - Aroma, Sabor e Arte Catarina, que reunirá, no mais antigo shopping da capital catarinense, os produtos derivados dos projetos apoiados pela Instituição, nas áreas de artesanato e agronegócios. São trabalhos feitos em renda, cerâmica, fibra, tapeçaria, velas, madeiras, couro, bem como cachaça, licor, geléias, entre outros.

A data e o local do evento não poderiam ter sido melhor escolhidos. Isso porque os 30 dias da mostra vão estar concentrados no período de alta temporada na capital catarinense. Segundo a assessoria de imprensa do Beiramar, nessa época do ano, passam pelos corredores do shopping cerca de 35 mil pessoas por dia.

“Todos os produtos de artesanato que fazem parte do projeto Arte Catarina possuem alto padrão de qualidade. O nosso objetivo com esse evento é levar até o público, por meio da exposição e comercialização, esses produtos que hoje possuem considerável valor agregado, promover a divulgação dos produtos da terra”, explica a consultora do Sebrae em Santa Catarina, Simone Amorim.

A mostra, que contará com uma área de 200m², será dividida em quatro diferentes espaços destinados à divulgação e comercialização. No espaço da loja 'Arte Catarina' estarão sendo vendidos todos os produtos de artesanato que hoje preenchem as prateleiras dos nove pontos de comercialização do Projeto Arte Catarina existentes no Estado.

Andando mais um pouco, o visitante fará uma viagem no tempo ao entrar no espaço 'Armazém Secos e Molhados'. No ambiente customizado nos moldes dos armazéns de antigamente, serão vendidos produtos que vêm dos tempos coloniais, como cachaça, vinho, geléia, banana processada, licores, entre outros, todos produzidos pelos projetos do setor de agronegócio apoiados pelo Sebrae.

Mais à frente estará o espaço 'Varanda do Gourmet'. A exemplo da Casa Cor, área será subdividida em três ambientes: cozinha, sala de jantar e sala de estar. Cada espaço estará decorado com peças artesanais e produtos do agronegócio. “Queremos mostrar que é possível utilizar o artesanato do Estado como itens de decoração e utilidade”, afirma Simone. Já no 'Espaço Degustação', os visitantes além de olhar, também poderão saborear os vários produtos comercializados no 'Armazém Secos e Molhados'.

No espaço 'Oficinas Demonstrativas', o visitante poderá observar de perto a criação dos Mestres de Ofício. Ao todo serão 60 artesãos, sendo dois a cada dia, que irão demonstrar em ateliês, montados especialmente para a mostra, o processo de criação no seu ofício.

A artesã Silvia Mônica irá compor esse time de artesãos. Parceira do Sebrae há mais de sete anos e com trabalhos reconhecidos nacional e internacionalmente, a artesã apresentará na mostra a arte de criar peças decorativas usando elementos da natureza.

Silvia produz jogos americanos, guirlandas, porta-guardanapos, móbiles, entre outros, utilizando, principalmente, palha de milho e escama de peixe, além de sementes e pedras. Para montar nos dias da mostra, a artesã irá levar o que ela considera o carro-chefe das suas criações. Silvia, que está se especializando na criação de presépios, vai montar caxinhas decoradas com flores feitas de palha de milho e escama de peixe. “Como vamos ter que fazer na hora, escolhi levar uma peça que tem um processo rápido de montagem para não dispersar o público”, afirma.

A 1ª Mostra Sebrae de Produtos Artesanais - Aroma, Sabor e Arte Catarina acontece de 15 de janeiro a 10 de fevereiro, no Beiramar Shopping, em Florianópolis, Santa Catarina. A exposição estará localizada no piso térreo, no hall de entrada do shopping. O horário de funcionamento será das 13h às 22 horas.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias – (61) 3348-7494 e 2107-9359
Sebrae em Santa Catarina - (48) 3221-0800

Maceió recebe a IV Feira de Economia Solidária

Solidariedade 10/12/2007

Maceió recebe a IV Feira de Economia Solidária
Artesãs atendidas pelo Sebrae expõem produtos à base de leite de cabra

Do Sebrae em Alagoas

Maceió - Pela segunda vez, as artesãs de Maravilha, município do sertão alagoano, participam da Feira Estadual de Economia Solidária de Alagoas, apresentando os sabonetes produzidos artesanalmente à base de leite de cabra.

A IV Feira Estadual de Economia Solidária de Alagoas será realizada entre os dias 11 e 15 de dezembro, junto com a I Feira de Agricultura Familiar, na Praça dos Martírios, em Maceió (AL). Este ano, na quarta edição do evento, a Associação de Produção Artesanal de Cosméticos de Maravilha – Natucapri traz para Maceió sabonetes aromatizados nas fragrâncias camomila, erva-doce, canela, maracujá e aveia e mel, além de buchas para banho, fabricadas com esponjas vegetais.

A produção das mulheres sertanejas começou em 2005, como resultado de um curso oferecido pelo Centro de Desenvolvimento Comunitário de Maravilha (Cedecma), em parceria com o Sebrae em Alagoas, sobre produção de sabonete à base de leite de cabra. Em 2006, nasceu a Natucapri, da busca de uma identidade visual para os produtos.

O Sebrae/AL tem trabalhado para o aperfeiçoamento da produção, promovendo capacitações e oportunidades de divulgação em feiras e cursos. Segundo Vânia Britto, gestora do Arranjo Produtivo Local de Ovinocaprinocultura no Sertão, a Natucapri começa agora a caminhar para estabelecer seu espaço no mercado.

“Devemos lembrar que essa iniciativa foi essencial para aumentar as perspectivas econômicas das mulheres de Maravilha. Daí a importância de divulgar os sabonetes de alta qualidade produzidos no sertão alagoano”, afirma a gestora.

Serviço:
Sebrae em Alagoas - (82)3216-1600

Região das Missões apresenta nova coleção de artesanato

Artesãos de Guarani das Missões lançam linha inspirada em cultura polonesa

Da ASN/RS

Guarani das Missões - Considerada um dos principais destinos turísticos do Brasil, a Região das Missões, no Rio Grande do Sul, tem um novo atrativo. Um grupo de artesãs de Guarani das Missões, município distante 479 quilômetros de Porto Alegre, lançou a coleção Polska Sztuka, com peças inspiradas na cultura e na arte polonesa.

A localidade é conhecida como a capital polonesa dos gaúchos. O grupo de seis artesãs participa do Programa Empreender, impulsionado no Estado pelo Sebrae no Rio Grande do Sul e pela Federação das Associações Comerciais e de Serviços do Rio Grande do Sul (Federasul). O Empreender estimula a associação e a capacitação de pequenos negócios e tem também a parceria da Associação Comercial e Industrial de Guarani das Missões.

O lançamento da coleção, realizado no dia 30 de novembro, na segunda edição da Feira do Artesanato Missioneiro, em Guarani das Missões, também contou com o incentivo da Representação Central da Comunidade Brasileiro-Polonesa no Brasil. A entidade ofereceu curso sobre cultura polonesa às artesãs, que se prepararam durante um ano para desenvolver a coleção. Pesquisas foram realizadas pelo grupo nos municípios de Nova Prata e de Casca, localidades onde também houve colonização polonesa.

“Cerca de 80% da população de Guarani das Missões têm origem polonesa”, explica a facilitadora do Empreender na localidade, Fabiane Gallert. De acordo com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul, a população da localidade é de cerca de 8,5 mil habitantes. A linha de artesanato inclui ovos de madeiras pintados, guardanapos e trilhos para mesa e pratos em madeira com imagens gravadas com pirógrafo.

Os ovos são chamados de pisanki e são considerados místicos. Dependendo da cor e do padrão de decoração, podem significar paz, amor, beleza, caridade, casamento, cristianismo ou prosperidade. Os pratos são chamados talerz e os bordados dos guardanapos e trilhos, hafty polski. As imagens reproduzem locais de Guarani das Missões. A facilitadora destaca que pratos deste tipo são uma tradição na Polônia. “Esse é um artesanato diferenciado, que será um novo atrativo para a Rota Missões”, destaca a técnica do Sebrae/RS Lisiani Ruggeri Hampel referindo-se ao projeto de turismo que contempla a Região das Missões e que também conta com o incentivo do Sebrae/RS.

Palco de um dos episódios capitais para a formação do gaúcho, as Missões compreendem uma área que abrange localidades do Rio Grande do Sul, Argentina e Paraguai. Nessa área, entre os séculos XVII e XVII, desenvolveu-se a República Jesuítico-Guarani das Missões, com padres da Companhia de Jesus catequizando índios guaranis e fundando povoados que deixaram marcas indeléveis na História. No Rio Grande do Sul, estão localizados os Sete Povos das Missões: São Borja, São Nicolau, São Luiz Gonzaga, São Lourenço do Sul, São Miguel, São João Batista e Santo Ângelo. As ruínas de São Miguel são declaradas Patrimônio Histórico da Humanidade pela Unesco.

As seis artesãs responsáveis pela coleção Polska Sztuka integram o Núcleo de Artesanato do Empreender em Guarani das Missões. No total, o núcleo reúne 20 profissionais. O programa tem outros dois núcleos no município: agricultura familiar, com 25 estabelecimentos, e de prestadores de serviços, com 81 empresas.

Serviço:
Assessoria de Comunicação do Sebrae/RS - (51) 3216-5182/5123
Central de Atendimento ao Cliente do Sebrae/RS - (51) 3216-5006
Sebrae Noroeste - (55) 3332-6488
Site Rota Missões - www.rotamissoes.com.br

Artesanato de Rondônia ganha catálogo, site e mercado

Catálogo com peças criadas por artesãos de seis municípios mostra o crescente potencial dos artesãos da região

William Jorge Heron

Divulgação


Catálogo retrata peças criadas por 83 artesãos

AmpliarPorto Velho - Exposição em painéis, um catálogo, apresentação de DVD, além do anúncio de um site, marcaram, na quarta (12), em Porto Velho (RO), o encerramento das atividades do artesanato rondoniense este ano. A apresentação foi feita a artesãos, lojistas, designers e potenciais investidores, que tiveram a oportunidade de conhecer trabalhos produzidos seis municípios.

As ações marcam o resultado de três anos de trabalhos de comunidades de artesãos em Porto Velho, Ariquemes, Guajará-Mirim, Ouro Preto do Oeste e Pimenta Bueno e Ji-Paraná, sob a orientação de consultoria contratada pelo Projeto Sebrae de Artesanato.

O resultado alcançado, retratado no Catálogo do Artesanato de Rondônia, segue as diretrizes da Gestão Estratégica Orientada para Resultados (Geor), do Sistema Sebrae, desenvolvida em todo o País. O documento retrata 207 peças criadas por 83 artesãos.

Importantes conquistas para o artesanato brasileiro, especialmente o da região Norte, o catálogo, o vídeo e o site (www.artesanatoderondonia.com) mostram a evolução da produção artesanal e também a conscientização do público-alvo do projeto para explorar sua criatividade em sintonia com o respeito ao meio ambiente, já que praticamente as peças têm como matéria-prima elementos naturais – sementes, madeira, fibras naturais, pedras preciosas e borracha.

“O Brasil tem cerca de oito milhões de artesãos que geram negócios da ordem de R$ 30 milhões, e o catálogo representa que a comunidade deverá agir com profissionalismo, com visão de mercado, o que representa qualidade na produção”, disse o consultor do projeto, Lars Diederichsen. Ele deu um testemunho sobre o acompanhamento da evolução da produção dos artesãos rondonienses, mostrando a satisfação com o crescimento profissional de cada um.

Um conjunto de todo o processo de evolução criativa, tecnológica e consciência ecológica marca, com o lançamento do catálogo, a preocupação do Sebrae e seus parceiros com a qualificação de mão-de-obra, aperfeiçoamento de gestão e organização através do associativismo.

Graças a isso é que os artesãos estão conquistando mercado, inclusive o externo, o que lhes proporciona acesso a crédito, parcerias com órgãos ambientais, governamentais e ONG, o que facilita o acesso à matéria-prima necessária a seu trabalho e transporte, garantindo a geração de novos postos de trabalho e renda.

Pedro Teixeira Chaves, diretor-superintendente do Sebrae em Rondônia, disse que o sucesso do artesanato rondoniense, além do fundamental apoio dos parceiros, tem sido um registro do “desenvolvimento socioeconômico com respeito ao meio ambiente. O artesanato é uma atividade socioambiental, passando por um consciente processo de extrativismo, gerando trabalho e renda”.

Ele também destacou o empenho de todos em tornar conhecida a criatividade dos artesãos na Amazônia, nas demais regiões brasileiras e também no mundo. Além de Teixeira Chaves, esteve presente o diretor-técnico Hiram Rodrigues Leal.

São parceiros do Sebrae no avanço da produção do artesanato de Rondônia e no encerramento das atividades do projeto este ano o governo estadual, as prefeituras de Guajará-Mirim, Ariquemes, Ji-Paraná e Ouro Preto do Oeste; o Banco do Brasil, o Banco da Amazônia, Caixa Econômica Federal, Associação Comercial de Ariquemes, Guajará-Mirim, Fundação Cultural de Ji-Paraná, Centro Despertar – entidade ligada à diocese de Guajará-Mirim.

Serviço:
Sebrae/RO - (69) 3217-3800
Site - www.artesanatoderondonia.com

Artesãos mostram talento durante Expo Brasil

Apoio à arte 05/12/2007

Sebrae apóia associações de artesãos no Rio Grande do Norte

Giovana Perfeito, enviada especial da ASN

Canindé Soares


Artesanato gera renda e inclusão social
Natal - Em poucos segundos, as mãos habilidosas do artista José Santana transformam a argila bruta em objetos de decoração. O trabalho chama a atenção do público que visita a feira de produtores da 6ª Expo Brasil, realizada no Centro de Convenções de Natal.

José é um dos artistas da Cooperativa de Produção Artesanal do Potengi (Copap), apoiados pelo Sebrae no Rio Grande do Norte. Ele conta que trabalha com cerâmica desde a década de 80 e sempre participou de todo o processo até a formação do produto final. Depois de dar forma à argila, José espera a peça secar, dá polimento e a leva ao forno. Ele mesmo faz a pintura nas peças. Geralmente trabalha com o estilo rupestre.

A arte de José é conhecida em todo o Estado do Rio Grande do Norte. "O Sebrae me proporcionou parcerias e visibilidade. É uma Instituição que só quer que o artista cresça", conta. Os participantes da Expo Brasil puderam acompanhar um pouco do trabalho de José e levar para casa algumas de suas belas peças.

A artesanato do grupo Sisal em Tramas também é exposto na feira do evento. São jogos americanos, passadeiras, souplat, bolsas e porta jóias. Tudo feito com o sisal, uma cultura da região de Lajes Pintadas, no interior do Rio Grande do Norte. Alguns produtos, como os jogos americanos são feitos com o auxílio de um tear.

O Sisal em Tramas faz parte da Associação de Artesãos de Lajes Pintadas que recebe apoio do Sebrae. São 42 artesãos. Geilda Feliciano explica que o apoio do Sebrae ajudou a desenvolver o comércio do grupo. "Antes, quando a gente tirava os gastos só sobrava dinheiro para comprar mais matéria-prima", diz. Com o apoio, Geilda conta que a renda do grupo aumentou cerca de 80%.

Em outro estande da Expo Brasil, o público encontra bonecas de pano, almofadas com pathwork, bolsas e colares. A produção dessas peças é apoiada pela Cooperativa Pindorama e pela Agência de Desenvolvimento Local, Integrado e Sustentável de Coruripe (Adelisco), ambas de Alagoas. Marinalva Vilela, colona da Pindorama, conta que os principais produtos da Cooperativa são o álcool e o açúcar. Mas, esse trabalho fica por conta dos homens. Para as mulheres incrementarem essa renda, a Pindorama apóia o trabalho artesanal.

Marinalva também é gerente do Núcleo de Incubadora de Empresas de Pindorama (Niep). "Esse é um braço do Sebrae dentro da Pindorama", diz. A idéia é ensinar às associações formas de caminhar com as próprias pernas. "Já temos grupos de doce, vinagre e costureiras graduados no Niep e que vão formar cooperativa de vendas", explica.


O presidente da Adelisco, Manoel dos Santos, conta que a agência apóia projetos desse tipo em dez municípios, inclusive em Pindorama. São dez grupos produtivos, com cerca de 150 artesãos. O trabalho dessa comunidade é feito com coco e palha da bananeira. "Estamos trabalhando agora na comercialização dos produtos. Apoiamos a participação dos produtores em feiras para divulgarem seu trabalho", diz.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 3348-7494 e (61) 2107-9359 / 9362
Expo Brasil - www.expobrasil.org.br
Data - de 3 a 6 de dezembro de 2007
Local - Centro de Convenções de Natal (RN)
Associação de Artesãos de Lajes Pintadas – (84) 3691-0173
Cooperativa de Produção Artesanal do Potengí – (84) 3278-2881
Cooperativa Pindorama – www.cooperativapindorama.com.br
Adelisco - http://adelisco.vilabol.uol.com.br/

Artesãos de MS se reúnem para discutir associativismo

04/12/2007
O evento objetiva fortalecer o artesanato no Estado através de palestras sobre associativismo, cooperativismo e trabalho em grupo

Lucas Santiago

Campo Grande - Realiza-se nesta terça-feira (4), das 8 h às 12 horas, na sala de treinamento do Sebrae Mato Grosso do Sul, em Campo Grande, o Seminário de Sensibilização para o Associativismo. O evento objetiva fortalecer o artesanato no Estado através de palestras sobre associativismo, cooperativismo e trabalho em grupo.

Segundo Fábio Lapuente, coordenador do Projeto de Desenvolvimento do Artesanato em Campo Grande, o Seminário vai fortalecer o público-alvo atendido pelo Sebrae. “Através de uma consultoria percebemos que era preciso fortalecer e integrar o artesão para fortalecer as instituições que os representam”, explicou o consultor.

O desenvolvimento do Seminário foi feito junto aos artesãos da Artems, Sinart e Uneart. Para as palestras formam chamados os consultores Márcia Belé e Newton Cesco.

Serviço:
Sebrae em Mato Grosso do Sul - 0800 703 5511

Feira de Artesanato mobiliza região das águas quentes

12/12/2007
Durante quatro dias, artesãos de Caldas Novas e Rio Quente vão expor seus trabalhos e participar de oficinas de artesanato gratuitas

Lorranne Tavares

Sílvio Simões


Cerca de cinco mil pessoas são esperadas por aproximadamente trinta artesãos de Caldas Novas e Rio Quente
Goiânia - Pela primeira vez, a Feira de Artesanato das Águas Quente será promovida na cidade de Caldas Novas, a 169 quilômetros de Goiânia. A partir desta quarta-feira (13) até o sábado (16), os trabalhos dos artesãos da cidade e do município de Rio Quente serão expostos na Praça Mestre Orlando, no centro da cidade. A primeira edição da feira também será enriquecida por 12 oficinas de artesanato gratuitas oferecidas a cada duas horas para 30 participantes por oficina.

A feira é uma ação do Projeto de Desenvolvimento do Artesanato de Caldas Novas e Rio Quente, que foi reativado pelo Sebrae em Goiás em agosto deste ano. “Estamos tentando organizar o setor”, diz o gestor do projeto, Amarildo Gonçalves.

A proposta de promover a feira surgiu como desafio para os artesãos que estavam se organizando novamente. Cerca de 5 mil pessoas são esperadas para apreciar e adquirir trabalhos de aproximadamente 30 artesãos de Caldas Novas e de Rio Quente. Artistas de Pirenópolis e da Cidade de Goiás também foram convidados para a exposição. “Queremos promover um intercâmbio”, explica Amarildo, já visualizando a participação dos artesãos locais em eventos dessas duas cidades.

Uma das maiores preocupações dos organizadores é fortalecer o artesanato dos dois municípios. “Essa feira deve se tornar um instrumento de valorização, divulgação e comercialização do artesanato da região”. Amarildo acredita que a ação pode contribuir para ampliar o mercado para os produtos artesanais dos dois municípios e conseqüentemente melhorar o padrão de vida desses produtores.

“Depois que começamos a trabalhar a realização da feira, já começaram a surgir apoiadores”, comemora o gestor, referindo-se à parceria com o Banco do Brasil e a Prefeitura de Caldas Novas.

Serviço:
Evento - I Feira de Artesanato das Águas Quentes
Data - de 13 a 16 de dezembro de 2007
Horário - de 13 a 15 de dezembro, das 15h às 22h; dia 16 de dezembro, das 9h às 16h
Local - Praça Mestre Orlando, Centro – Caldas Novas (GO)
Oficinas de artesanato gratuitas
Unidade de Comércio e Serviço (Sebrae em Goiás) - (62) 3250-2346
Gestor Amarildo Gonçalves Vieira - (64) 3416-2311
Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás) - (62) 3250-2268

domingo, 2 de dezembro de 2007

Feiras e Eventos de Algumas Regiões do País

Feiras e Eventos - 2008
Negócios Ambientais Sustentáveis 2008 23 a 26/04/08 - Expotrade - Curitiba - PR
Tel.: (41) 3031-3071
eventos@ciabrasil.org.br

FIEMA Brasil 2008
Feira Internacional de Tecnologia para o Meio Ambiente 07 a 10/05/08 - Parque de Eventos de Bento Gonçalves - RS
carla.assessoria@terra.com.br

III ReciclAção 2008
Feira Brasileira de Reciclagem, Preservação e Tecnologia Ambiental 11 a 14/06/08 14:00 às 21:00 Centro de Exposições Expo Curitiba
Rua Pr. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300
Curitiba - Paraná - Brasil
http://www.reciclaveis.com.br/feiras/reciclacao/2008


II Feira Nacional de Arte e Artesanato
23/11/07 a 02/12/07 10:00 às 22:00 Centro de Convenções - Recife - PE
Tel.: (81) 3423-0107
febraarte2@hotmail.com
Espaço Reciclarte
Espaço permanente para exposição de peças utilitárias, obras de arte, esculturas e outros objetos confeccionados por artistas plásticos, designers e artesãos com materiais reciclados ou reaproveitado.
Permanente
09:00 às 17:00
Associação Ecológica Ecomarapendi Rio de Janeiro - RJ -
Tel: 21 - 2552-5996 / 2552-6393
reciclarte@recicloteca.org.br

Feira de Artes e Artesanato do Município de Duque de Caxias
Feira com todo tipo de artesanato. Permanente
Sexta-feira 08:00 às 18:00 Praça Roberto Silveira, 25 de agosto
Duque de Caxias - RJ
Tel.: (21) 9366-7110
venusart.associacaodeartesaos@gmail.com

Artesanato com Recicláveis
Loja para venda e exposição de produtos elaborados a partir de recicláveis, como lata, papel e pet. Produtos feitos sob encomenda nas oficinas de criatividade. Permanente 09:00 às 18:00 Reciclo ASMARE Cultural
Belo Horizonte - MG
Tel.: (31) 3295-3378
reciclocultural@terra.com.br

Feira de Artesanato
Exposição e venda de produtos elaborados com papéis artesanais de fibra vegetal e reciclados. Sábados, Domingos e Feriados 09:00 às 17:00 Praça Lauro Gomes
São Bernardo do Campo - SP
daniel@digitalmakers.com.br
www.papeldocampo.com.br

Feira de Artesanato Santa Rita
Feira de Artesanato com produtos artesanais, recicláveis, abajur, potes, decoração, bijuterias, cintos e bolsa em couro, camisetas pintadas a mão etc... Terças-feiras e Sábados 09:00 às 17:00 Praça Santa Rita de Cassia, s/n - São Paulo - SP
Rua das Rosas c/ Av. Sen. Casemiro Rocha
Tel.: (11) 9523-8103
feiraartesantarita@yahoo.com.br
http://br.geocities.com/feiraartesantarita

Feira de Artesanato
A feira tem mais de 300 barracas, divididas entre as áreas de bijouterias, calçados, 02 praças de alimentação, roupas em geral, artesanatos em madeiras e muito mais... Sábados 10:00 às 16:00 Av. Silva Lobo com Rua Canaã
Belo Horizonte - MG
gaspartour@bol.com.br

Italartes - Feira Traços do Rio
Oficina de artesanato (reciclagem) - diversas técnicas, pintura em tecido, pátina, PET, mosaico com EVA, embalagens recicladas, papel jornal e Biscuit. 4as. feiras 09:00 às 17:00 Rua Coronel Gomes Machado, em frente a Casa Vídeo
Tel.: 2622-4731 / 2613-8487 / 9677-5768

FEIRARTE - Feira de Artesanato de Teresópolis Sábado e Domingo 10:00 às 18:00 Praça Higino da Silveira - Teresópolis - RJ
Tel.: (21) 9207-5848
marcelinhodd@oi.com.br

Feira de Artesanato
A feira mostra um pouco do material que é exposto na Casa do Artezão Sexta-feira e Sábado 19:00 às 22:30 Praça da Matriz - Olímpia - SP
ai_bilu@hotmail.com


Fonte:Promotoras de Eventos

MAIS UMA EDIÇÃO DE SUCESSO


No dia 25 de novembro chegou ao final a 18ª edição da Feira Nacional de Artesanato (FNA). O evento está definitivamente arraigado no calendário anual do Brasil. Nesta edição, tivemos a participação de artesãos de todos os 26 estados da federação e do Distrito Federal. Além de expositores, não faltaram também compradores de toda parte. Aliás, mais que nunca a FNA torna-se um encontro global do artesanato. Se já era tradicional a participação de estrangeiros, vindos de países da América Latina, Ásia e Europa, este ano ela foi ainda maior com a homenagem feita ao continente africano. Países como Quênia, Zimbábue, Senegal, Marrocos e outros, estiveram representados no Expominas , com excelentes resultados de vendas. O Espaço África, dedicado aos homenageados, tOs cursos e seminários, realizados durante o evento, também encantaram os participantes. No estande do Centro CAPE, os visitantes mantiveram contato com profissionais ligados às áreas de comercialização de produtos, cadeia produtiva, participação em feiras, exportação, entre outros temas. Graças ao apoio da Fundação Banco do Brasil, todos os cursos e seminários foram gratuitos para os visitantes da feira.


Depoimentos de artesãos dão conta de que a Feira cresce a cada ano. Apesar de ainda não haver números oficiais, tudo indica que a movimentação financeira da XVIII Feira Nacional de Artesanato foi ainda maior que a da última edição - quando foram negociados mais de R$ 56 milhões. O número de visitantes também cresceu, tendo havido mais de 25 mil pessoas (entre expositores, organização e público) dentro dos pavilhões, ao mesmo tempo, no sábado. Quando se fecharem as contas das catracas, espera-se que seja verificado um total superior aos 170 mil visitantes registrados em 2006.
O tema da FNA de 2007 foi o Circo, motivo que encheu de alegria todos os cantos do Expominas . Companhias circenses de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro fizeram a festa dos visitantes, especialmente as crianças. Palhaços, malabaristas e contorcionistas entretinham as pessoas que passeavam pelos estandes, entre uma compra e outra. Além disso, cortejos de artistas como o grupo Meninas de Sinhá, orquestra de frevo e desfile de Maracatu Rural (vindos diretamente de Pernambuco), ajudaram a criar uma atmosfera agradável a artesãos e clientes.

Os cursos e seminários, realizados durante o evento, também encantaram os participantes. No estande do Centro CAPE, os visitantes mantiveram contato com profissionais ligados às áreas de comercialização de produtos, cadeia produtiva, participação em feiras, exportação, entre outros temas. Graças ao apoio da Fundação Banco do Brasil, todos os cursos e seminários foram gratuitos para os visitantes da feira.

Resíduo Zero

A Feira Nacional de Artesanato continua inovando e, em 2007, reciclou todo o resíduo produzido na edição anterior . Os carpetes foram utilizados na confecção de pufes, mesas de centro, cadeiras e capachos que compuseram os ambientes de descanso da feira. Ao final do evento, as peças foram doadas para creches e asilos. Cerca de 8 mil bolsas confeccionadas com os banners da última edição, foram entregues aos lojistas que visitaram o evento.

O sucesso da Feira Nacional de Artesanato não seria possível sem o apoio de instituições públicas e privadas que, a cada edição, desenvolvem ações que viabilizam a participação de associações e cooperativas de todo o país, na Feira Nacional. A Petrobrás, que há 4 anos consecutivos patrocina o evento, é uma parceira fundamental em todo o processo. Além do investimento financeiro, a Petrobrás leva à feira a chancela de uma empresa que, certamente, concede credibilidade ao evento. Além da Petrobrás, a Feira Nacional de Artesanato recebe o apoio da Cemig, do Governo de Minas Gerais, da Fundação Banco do Brasil, entre outras instituições que investem na inclusão social e geração de renda através do artesanato. Em 2007, o Ministério do Turismo patrocinou o transporte, estadia e alimentação de artesãos de todos os estados brasileiros para que pudessem expor e comercializar suas produções na maior vitrine do artesanato na América Latina.

Em 2008 os "100 Anos da Imigração Japonesa no Brasil" será o tema da Feira Nacional de Artesanato. De 25 a 30 de novembro, o Expominas será palco de uma verdadeira celebração da amizade entre duas culturas bastante diferentes entre si, mas que há um século andam de mãos dadas.

Nos próximos dias, com o fechamento de todos os números e a computação dos resultados de pesquisa encomendada junto ao Instituto Vox Populi, será publicado neste sítio o balanço oficial da XVIII Feira Nacional de Artesanato.

PEÇA DE ARTESÃOS PERNANBUCANOS


Catálogo apresenta peças de artesãos pernambucanos
Grupo de 16 artesãos de Serrita (PE) recebeu orientações de arquitetos e designers na produção de peças decorativas, utilitárias, acessórios e mobiliários

Do Sebrae em Pernambuco

Foto Bosco Lacerda Filho


O couro do gibão dos vaqueiros é o principal material usado no artesanato local

AmpliarRecife - O Sebrae em Pernambuco lançou o catálogo Arquitetando Arte Serrita na terça-feira (27) na Casa Cor 2007 no espaço do Armazém Sebrae. A publicação apresenta trabalhos desenvolvidos por 16 artesãos do município de Serrita (PE) que passaram por um processo de capacitação aplicado pela Instituição. O objetivo do catálogo é apresentar a varejistas e profissionais da decoração o trabalho desenvolvido no município.

Todas as peças têm como principal matéria-prima o couro e são decorativas, utilitárias, acessórios e mobiliários. Todas serão comercializadas. Antes da intervenção dos designers e arquitetos, os artesãos trabalhavam apenas com vestimentas típicas da região, como gibões e outras indumentárias do vaqueiro.

O trabalho com o grupo começou em março deste ano. Os artesãos foram capacitados por arquitetos e designers que promoveram um aprimoramento das técnicas utilizadas com o objetivo de desenvolver peças artesanais voltadas para o mercado de decoração, em lojas especializadas. Além do Sebrae, são parceiros do Arquitetando Arte, o Projeto Produzir, do Ministério da Integração Nacional, Banco do Nordeste, Prefeitura Municipal de Serrita e Codevasf.

"As peças apresentadas na Casa Cor são bastante diferenciadas, são peças decorativas para compor ambientes. Nosso objetivo é apresentá-la aos decoradores e arquitetos, para que eles apresentem como opção em seus projetos", explica o gestor do projeto Rota do Cangaço, da unidade do Sebrae em Serra Talhada, Alexandre Campos. Ele ressalta ainda que o objetivo do Arquitetando Arte é apresentar aos artesãos uma nova opção de mercado, mais exigente e qualificado.

Distante a 544 quilômetros do Recife, o município de Serrita é nacionalmente conhecido pela realização da tradicional Missa do Vaqueiro. A atividade profissional está presente em vários elementos da cultura local. O couro do gibão dos vaqueiros é o principal material usado no artesanato local.

Serviço:
Sebrae/PE – (81) 2101-8400
Fonte Sebrae/PE